terça-feira, 31 de maio de 2011

O que não se sabe









Não é bem saudade o nome,
É algo insignificante entre
a comida e a fome.

Não é bem tristeza o que sinto,
É algo insignificante
entre o suplício e o alívio.

Não é bem o medo que apavora
É algo insignificante
entre a escuridão e a aurora

Não é bem angústia que impera
É algo insignificante
entre o verão e a primavera

Não é bem a dor que dilacera
É algo insignificante
entre a realidade e a quimera

Não é bem amor....

É saudade, medo, angústia e dor.


2 comentários:

Cassia disse...

olá visite meu Blog e dê sua opinião

Bjus

http://aleitoracassia.blogspot.com/

Belas palavras também escrevo no Ver a dor Invisível

Gabi Lima disse...

Olá.

Muito legal essa poesia. Foi você quem escreveu?
Gostei bastante.

Bjss*
Gabi Lima
http://livrofilmeecia.blogspot.com/